Ir para do conteudo

Notícias

Em discurso de posse, a nova diretora do Cepuerj destacou a união da equipe e sua qualidade técnica

Em uma sexta-feira marcada por muita emoção e animação, a comunidade acadêmica celebrou, no Teatro Odylo Costa, filho, a cerimônia de transmissão da reitoria, vice-reitoria, e posse das diretorias da Uerj. Marcada pela presença de várias autoridades, a solenidade contou com diversas falas que mostram um novo rumo para a Universidade.

A reitora empossada recebeu diversas homenagens de colegas professores e uma mais que especial das crianças do CAp-Uerj. Em seu discurso, o ex-reitor Mario Sergio elogiou o processo democrático nas eleições para a reitoria, desejou melhores tempos para a Universidade e deu grande ênfase ao trabalho realizado pelos docentes e técnicos administrativos durante o período de sua gestão.

Antes do discurso da reitora, a ministra da saúde Nísia Trindade, uma das egressas da Uerj, relembrou seu tempo de Universidade e falou ainda da importância do Instituto de Medicina Social e do trabalho do sanitarista Hesio Cordeiro. Nísia ainda reafirmou o compromisso do governo federal com as universidades públicas e que elas vão voltar a ter protagonismo. “Ao tomar posse, o presidente Lula se referiu ao papel fundamental das universidades públicas. No ministério da saúde, as universidades voltaram a ter seu protagonismo. E esse protagonismo tem se verificado de uma maneira exemplar, nas contribuições para vários comitês técnicos assessores que têm estado na base da construção e formulação das várias políticas que viemos realizando e implementando. Retomamos vários programas, e foi com o apoio das universidades que nós pudemos rever ações, ampliar, inovar e ter o caso de várias ações na atenção primária, na atenção especializada, na política de ciência, tecnologia e inovação, reafirmado na estratégia do complexo industrial de saúde.”

Mesmo a Universidade tendo 73 anos de existência, Gulnar é apenas a segunda mulher a assumir o cargo de reitora na Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Em seu discurso, destacou uma das suas prioridades, que foi um dos marcos da sua campanha para a reitoria e se tornou a sua prioridade para o início dos trabalhos: as políticas estudantis. “Vamos assegurar uma ampla política de assistência estudantil que, além de todas as bolsas e auxílios que devem ser regulados e mantidos, ofereça também acolhimento, orientação pedagógica e alimentação, possibilitando o acesso e a permanência plena dos nossos alunos.”

Em um breve discurso, as pró-reitoras de Pós-graduação e Pesquisa, Elizabeth Macedo, e de Extensão e Cultura, Ana Maria Santiago, falaram sobre o destaque da Universidade na construção do país: “A Uerj possui um espaço acadêmico-científico-cultural plural que oferece formação de reconhecida qualidade e vem se destacando na pesquisa e inovação. Isso não é nenhuma novidade, como também sabemos das muitas dificuldades que superamos, aos trancos e barrancos, ou por teimosia. A Uerj tem feito sempre mais. Assumimos em um momento especial para o país, um momento de esperança, mas também de construção, e a nossa Universidade estará como sempre esteve, pronta para colaborar na superação de desafios do país e do estado do Rio de Janeiro.”

Ao tomar posse como Diretora do Centro de Produção da Uerj, Valéria Santos destacou a importância da união da equipe e sua qualidade técnica: "O dia de hoje não marca só o início de uma nova gestão, mas a nossa história, a evolução constante que cada um de nós representa, trabalhadores, estudantes, com nosso trabalho diário e nossa dedicação a esta casa. É com imensa gratidão a esta casa, e muita responsabilidade que assumo hoje a direção do Cepuerj, uma unidade com uma equipe que me enche de orgulho pela excelência técnica e comprometimento. E como a gestão não é um esforço solitário, mas uma jornada coletiva, nos reunimos hoje não somente para comemoração e agradecimento, mas para firmar um compromisso com toda a comunidade Uerjiana. Cada voz é uma peça vital para o nosso sucesso coletivo."

O público presente ainda foi agraciado com as apresentações do coral Altivoz, que durante a sua exibição ainda interagia com a plateia, e ao final a bateria da escola de samba Estação Primeira de Mangueira, que trouxe no repertório sambas famosos e que marcaram a história da escola, e fechou o espetáculo com o samba enredo de 2019, que fala sobre a história do país desde o descobrimento e as páginas ausentes da história do nosso Brasil.