UERJ

Arte e Loucura nas Práticas e Saberes “psi” no Brasil

» Inscrição   |   » Objetivo   |   » Público   |   » Local / horário   |   » Programa   |   » Coordenação   |   » Instrutores   |   » Critério de avaliação   |   » Valores   |   » Informação Completa
Inscrição

Inscrição - clique aqui

Período de inscrições: de 15/06/2017 a 25/07/2017

Vagas: 30

Dúvidas: cliopsyche.uerj@gmail.com

Objetivo

Realizar um panorama das principais experiências com arte que ocorreram no Brasil no contexto das práticas e saberes “psi” ao longo do século XX, apresentando as diferentes perspectivas teóricas presentes em cada uma delas e como dialogaram com a História da Psicologia. Enriquecer a formação de estudantes e profissionais interessados em trabalhar no campo da saúde mental em serviços que tenham a arte como aliada no processo terapêutico e na transformação das relações entre a loucura e a sociedade.

Público-Alvo e Pré-Requisito

Estudantes e profissionais de psicologia e arte, e demais interessados no papel da arte no campo da saúde mental.

Local e Horário

Laboratório de História e Memória da Psicologia Clio-Psyché - Universidade do Estado do Rio de Janeiro - Rua São Francisco Xavier, 524, Maracanã, Centro Cultural Reitor Oscar Tenório (entrada ao lado do Banco Bradesco)

-------------------------------------------------------------------------------------------

Carga Horária:
15h/a

------------------------------------------------------------------------------------------------------
Horário do Curso:

3ª feira das 18h às 20h. 

------------------------------------------------------------------------------------------------------

Período de realização do curso:

de 01/08/2017 a 29/08/2017

Programa

O papel da cultura no estabelecimento da relação entre arte e loucura no início do século XX; As décadas de 1920-1930: Osório César e a arte como objeto da psiquiatria; Nise da Silveira e a criação do atelier de pintura e modelagem do Engenho de Dentro na década de 1940. Arte, ciência e política no Museu de Imagens do Inconsciente. A década de 1980 e o papel da cultura na Reforma Psiquiátrica. Preservar para reformar: a luta antimanicomial e a criação de museus em instituições psiquiátricas. A arte como parceira na constituição de novos serviços em saúde mental: o panorama atual.

Coordenação

Ana Maria Jacó Vilela

Instrutores

Eurípedes Gomes da Cruz Jr.

Graduado em Composição pela Escola de Música da UFRJ, com mestrado e doutorado em Museologia e Patrimônio pela UNIRIO/Museu de Astronomia. Trabalhou durante 30 anos no Museu de Imagens do Inconsciente, onde foi vice-diretor. Desde 2010 trabalha no Museu Nacional de Belas Artes/IBRAM, onde atualmente é curador da coleção de esculturas.

João Henrique Queiroz de Araújo

Graduado em Produção Cultural e Psicologia, com mestrado e doutorado em Psicologia Social. Realiza pesquisas sobre o surgimento de museus em instituições psiquiátricas no Brasil. Atualmente investiga o processo de criação do Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea, onde trabalha como pesquisador no processo de catalogação das obras de Arhur Bispo do Rosario.

Paula Barros Dias

Psicóloga clínica, Especialista em Saúde Mental pela ENSP/ Fiocruz, Mestre em História das Ciências da Saúde pela Casa de Oswaldo Cruz / Fiocruz, Coordenadora do Centro de Estudos do Instituto Municipal Nise da Silveira.

Critério de Avaliação

A avaliação será realizada com base em formulário de auto-avaliação e levando em consideração a freqüência do aluno, que deverá cumprir, no mínimo, 80% da carga horária do curso.

Valores

Profissionais: R$ 150,00

Estudantes de Graduação: R$ 120,00